Início / Newsletter / Entrevista ao nosso residente CONSIT

Entrevista ao nosso residente CONSIT

De onde surgiu a primeira ideia para este projeto?

O projeto CONSIT surgiu de uma oportunidade.

Alguns clientes da empresa de onde partimos estavam descontentes com o serviço prestado e com o rumo que a empresa estava a tomar e questionaram-nos se não estaríamos a pensar em criar um novo projeto.

Quando percebemos que vários clientes tinham a mesma opinião, então começámos a pensar sobre a ideia e as suas implicações.

A concretização da ideia demorou apenas 40 dias. Foi tudo muito rápido.

Depois foi só uma questão de nos agarrarmos com unhas e dentes e atacarmos o mercado.

Sabíamos que as oportunidades existiam, só tínhamos de as procurar.

Como chegaram até à Maquijig?

A grande evolução que a empresa teve nos anos iniciais levou a que tivéssemos de pensar em ampliar a nossa equipa e com isso as instalações onde estávamos. A MAQUIJIG surgiu assim como uma opção natural. Temos alguns clientes no Parque Industrial das Carrascas e conhecíamos a ótima localização do Centro. Um dia decidimos visitar as instalações e saber se haveria espaços adequados à nossa atividade.

Entretanto passaram 2 anos…

Antes deste projeto, já tinham pensado em começar um negócio como opção de vida?

Nunca tínhamos pensado em criar um projeto desta dimensão ou desta natureza. Foi uma verdadeira aventura.

Tínhamos atividades complementares à nossa profissão, mas sempre com um emprego fixo.

Começar algo de raiz foi uma experiência única para nós.

Como surgiu o vosso primeiro cliente?

Os nossos primeiros clientes surgiram do trabalho que vínhamos fazendo na empresa de onde partimos.

Reconhecendo o nosso trabalho, rapidamente mostraram vontade de nos acompanharem e assim dar continuidade ao trabalho que vínhamos fazendo até então. Começámos com 4 clientes regulares, e rapidamente acrescentámos outros tantos.

A partir daí foi sempre a crescer. Hoje contamos com cerca de 60 clientes.

Qual é a vossa maior ambição com este projeto?

Sermos uma referência na atividade que desempenhamos.

Termos a certeza de que os nossos clientes contam conosco e que nos referenciem a outras empresas.

É sinal de que o nosso trabalho está a ser bem feito.

Para além da área de IT, se pudessem escolher apenas uma qual seria?

No nosso ADN estará sempre a ambição de tentarmos melhorar a performance das organizações nossas clientes, quer através da implementação de soluções Tecnológicas, quer através da optimização de processos e procedimentos.

Se colocássemos de lado a área de TI, julgo que uma outra área em que apostaríamos de certeza seria a Formação ou a área de Consultoria de Gestão.

Analisar as organizações enquanto um todo, identificar os pontos críticos e propor melhorias para melhor rentabilizar os seus recursos seria um ótimo desafio.

Custa-nos ver que as empresas portuguesas ainda são muitas vezes geridas com caneta e papel.

Se pudessem escolher uma parceria de sonho, qual seria?

Gostaríamos de poder representar uma marca internacional na área das TI e colaborar na sua implementação no mercado nacional.

O que lhe dá maior prazer neste projeto?

O reconhecimento do nosso trabalho.

Quando vemos que os nossos clientes continuam a apostar em nós e no nosso trabalho e que nos referenciam a outras empresas suas clientes/parceiras, é de facto lisonjeador. Tudo isto é sinal de que o caminho que traçámos e que percorremos todos os dias tem a orientação certa.

Tem algum “truque” para estimular a criatividade?

Olhar para as pequenas coisas do dia-a-dia.

Muitas vezes questionamos sobre o que poderemos criar para sermos diferentes da concorrência, ou para que marcamos a diferença perante as outras organizações. Basta olhar para as pequenas coisas que nos rodeiam e que fazem parte do nosso dia-a-dia.

Se temos todos os dias que fazer e enviar cartas para os nossos clientes, porque não arranjar um processo que automatize esta tarefa?

Podemos não conseguir descobrir a origem do nosso universo (e também não é essa a nossa pretensão), mas pelo menos poderemos simplificar o nosso quotidiano.

Tem algum conselho para quem deseja entrar neste “universo”?

Ao contrário do que se pensa no inicio, começar um projeto não é uma missão impossível.

É preciso trabalho, algum sacrifício e muita vontade.

Se aliarmos isto tudo à possibilidade de conseguirmos estabelecer parcerias, então conseguiremos o ótimo.

“Sozinhos vamos mais rápido, mas juntos vamos mais longe.”

entrevista_CONSIT