Início / Newsletter / Manual Prático – Vencer a crise com otimismo em 7 passos

Manual Prático – Vencer a crise com otimismo em 7 passos

Maquijig

Seja empresários, gestor, banqueiro, trabalhador por conta própria ou de outrem, qualquer profissional pode aprender a ser optimista. Todos precisamos de ver valorizado o nosso trabalho e desempenho.

E a educação para o optimismo através do treino diário é uma realidade. Esta é uma solução muito relevante quando a maioria dos profissionais procura saídas para vencer a crise nas empresas, nos bancos, nos partidos, nas escolas, no Estado e nas famílias.

A Maquijig deixa-lhe uma proposta de treino diário composta por 7 dicas:

1. Mude a sua linguagem
 – Ao mudar a linguagem podemos mudar a identidade, as relações e a cultura. As palavras usadas em cada momento são uma escolha e, muito mais do que programação neurolinguística, são a nossa capacidade de moldar a identidade através da fala.

2. Crie um discurso vencedor
 – Há uma necessidade nacional de melhorar o optimismo de empresários, políticos, banqueiros, entre outros profissionais. E por exemplo, os políticos sabem que os discursos mais optimistas são os que aumentam a probabilidade de vencer.

Além disso, os portugueses têm, por regra, uma percepção quase sempre abaixo das respetivas condições de vida. Tivemos um pico de optimismo durante o Euro 2004 em Portugal, mas avaliamo-nos sempre abaixo da nossa proporção de bem-estar, ou seja, tendemos para o pessimismo. Agarre o agora e comece já hoje a fazer mudanças e a projetá-las nas novas gerações.

3. Valorize e faça os outros valorizarem o seu trabalho – Em geral, quando questionadas sobre os passos que fariam, as pessoas sentem-se mais satisfeitas na sua profissão quando são valorizadas e reconhecidas pelo seu trabalho. Isto acontece em todas as profissões e em todas as classes. Esta necessidade de valorização é apontada antes mesmo do salário e a ausência deste reconhecimento profissional pode destruir uma empresa ou uma sociedade. Pode levar as pessoas a elevarem os níveis de depressão e Portugal tem indicadores muito preocupantes.

4. Inspire-se para o sucesso
 – A inspiração é essencial para obter bons resultados. Temos de acreditar: se à partida não acreditamos, já não investimos da mesma maneira e acabamos por aumentar as probabilidades de insucesso. É um círculo vicioso que tem de ser compensado com um círculo virtuoso.

5. Fazer crescer o que funciona – 
Uma empresa só funciona bem se cada coisa negativa que acontecer for compensada com pelo menos três coisas positivas. Os empresários devem criar condições para aumentar o que faz florescer as relações e os processos no seio empresarial. Temos que mudar a abordagem e começar a fazer crescer o que funciona, o que está bem. Sabemos hoje que o trabalho nas empresas melhora quando se aumentam a gratidão, o perdão e a generosidade.

6. Refugie-se no optimismo – 
Sim, os refúgios de optimismo existem e  são muito positivos. Abordando, por exemplo, o caso verídico de uma empresa farmacêutica portuguesa que ia à falência. Os trabalhadores juntaram-se e compraram-na. Isso demonstra que é a partir de pequenas experiências que nos revelamos enquanto povo, enquanto nação, e enquanto cultura na nossa capacidade de contrariar uma tendência cultural de desânimo e de queixumes.

7. Encare a espiritualidade 
como um fator predominante do seu dia a dia – Quando aqui falamos na espiritualidade levada para o meio profissional, falamos da religião, seja ela qual for. Trata-se de encontrar um sentido para as coisas e já temos aqui em Portugal certos bancos que dão aos funcionários uma tarde por semana para fazerem trabalho de voluntariado. A mudança que isso representa é enorme, por ser uma intervenção espiritual e uma forma de ajudar alguém a dar um sentido à vida.